Vivendo 1 ano sem dinheiro

3 Postado por - 14/06/2013 - Artigos, obailetodo, Textos

O título do post pode até assustar, mas foi isso que o Mark Boyle fez de novembro de 2008 até novembro de 2009. Mark narra a sua jornada no livro “O Homem Sem Grana – vivendo um ano fora do sistema econômico”. Levado por sua total descrença ao vil metal, Mark questiona a sociedade de consumo atual e decide passar um ano sem grana, vivendo somente no princípio de Freeconomy e forrageando comida por bosques, cultivos e latas de lixo.  O Freeconomy é um conceito muito interessante e que remete aos tempos pré-dinheiro (sim meu amigo, nem sempre o dinheiro estava por aí). Consiste basicamente em dar as coisas pelo simples prazer de dar e não por esperar algo em troca. Aliás, cumpre dizer que o Mark foi fundador da comunidade online de Freeconomy.

Vendo o livro podemos pensar que tanto a experiência social realizada, bem como o próprio livro, podem ter sido um enorme PR Stunt para a promoção da freeconomy. Verdade ou não, o relato é interessante da mesma forma. Quando um sujeito se propõe a algo extremo como isso sua história merece ser ouvida. Além da parte ativista, o livro tem muitas dicas para quem quiser arriscar uma vida com menos impacto para o planeta. Fazer a própria pasta de dente, como tomar banho sem comprar sabonete, construir o próprio fogão e como forragear comida por bosques ingleses são algumas das dicas presentes no livro. Além disso Mark ainda aborda temas pessoais como fim do seu namoro e sua relação com os amigos e familiares. 240 páginas depois, acompanhar o ano sem grana do Mark nos leva a questionar algumas das coisas que fazemos no nosso dia-a-dia.

No fim de sua jornada Mark ainda consegue organizar um festival para milhares de pessoas com música, palestras e comida. Se você se pergunta “Mas o que esse cara faz com o dinheiro que ganha com o livro?” aqui vai a resposta. Mark diz que usará o dinheiro para comprar um terreno onde possa desenvolver uma comunidade freeconomy auto-sustentável. O próprio autor conclui que não é tão cedo assim que nossa sociedade vai desvincular-se do dinheiro, mas que com um pouco de vontade podemos reduzir muito o impacto negativo que causamos por nossos hábitos de consumo. Sem dúvida é um livro interessante para esses tempos de crise.

Existem diversos grupos de freeconomy espalhados pelo mundo, inclusive vários aqui no Brasil. Se você se interessou pelo freeconomy, clique aqui para conhecer o site global do movimento.

Sem comentários

Deixe uma resposta